sexta-feira, 6 de junho de 2008

Crianças atendidas pela Fundação Nosso Lar praticam equoterapia

Crianças portadoras de necessidades especiais atendidas pela Fundação Nosso Lar estão praticando a equoterapia, como forma de desenvolvimento físico e psicológico. Esta prática só foi possível graças à colaboração do Centro Eqüestre K&L, que disponibilizou a terapia às crianças atendidas pela instituição, até o momento uma criança, que tem os custos arcados por um “padrinho” e uma adolescente, que recebe atendimento gratuito, fazem parte do programa.
O Centro é especializado na “equitação especial”, destinada à crianças com algum tipo de necessidade especial e o “baby horse”, para crianças com idade entre 2 e 5 anos.
A Instrutora de equitação Nelly Lee, explicou que “a equitação especial usa o cavalo como meio de alcançar a melhora física, psicológica e educacional da criança”, mas salientou que é “um processo lento e contínuo e seu progresso só será observado com a assidudade e dedicação da criança e de todos os envolvidos com ela, como pais, professores, instrutores, fisioterapeutas e fonoaudiólogos”.
A relação amigável e confiante que se cria entre o cavalo e o praticante, segundo Cristine Kolhenbrger Jonas, outra instrutora do Centro, proporciona à criança “o aumento da auto-estima e autoconfiança, melhorando sua imagem pessoal e ensinando o trabalho em equipe, fator fundamental para o seu desenvolvimento”.

Melhora sensível
O menino Josimar, 5 anos, está abrigado na Fundação Nosso Lar desde novembro de 2007, até agora porém, passava apenas os finais de semana na isntituição, pois durante a semana recebia atendimento do Centro de Nutrição, já que seu estado físico era precário e, há uma semana, passou a receber atendimento em tempo integral da Fundação. Desde fevereiro faz equoterapia e os avanços alcançados, segundo a fisioterapeuta Ingrid Temes, que acompanha Josimar, são visíveis. Segundo Ingrid, Josimar não andava, não pronunciava um único som e tinha sérios comprometimentos físicos. Aos poucos, o menino começa a dar os seus primeiros passos, ainda com a ajuda da fisioterapeuta e está reagindo a vários estímulos.
Durante 40 minutos, uma vez por semana, Josimar tem contato com os cavalos do Centro Eqüestre e pratica várias atividades, como alimentar o cavalo, montar, trotar e o contato físico com o animal. Tudo isso, segundo Ingrid, estimula e desperta os sentidos, além de auxiliar no desenvolvimento físico da criança.

Oque é?
Segundo a ANDE – Associação Nacional de Equoterapia, a prática é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou de necessidades especiais.
Na equoterapia, o cavalo é utilizado como um meio de se alcançar os objetivos terapêuticos. Ela exige a participação do corpo inteiro, de todos os músculos e de todas as articulações.
O uso do cavalo como forma de terapia data de 400 A.C., quando Hipócrates utilizou-se do cavalo para "regenerar a saúde" de seus pacientes. Em 1901 foi fundado o primeiro hospital ortopédico do mundo e em função da guerra dos Boers na África do Sul, o Hospital Ortopédico De Oswentry (Inglaterra) onde o número de feridos era muito grande. Uma dama inglesa, patronesse daquele hospital, resolveu levar os seus cavalos para o hospital a fim de quebrar a monotonia do tratamento dos mutilados. Este é o primeiro registro de uma atividade eqüestre ligada a um hospital.
No Brasil, a partir dos anos 80, quando foi criada a ANDE-Brasil, o tratamento tomou maior impulso, mas somente nos últimos seis anos é que se pode notar o verdadeiro crescimento desta modalidade terapêutica, haja visto o número crescente de centros de equoterapia em todo território nacional.
A Equoterapia foi reconhecida como método terapêutico em 1997 pelo Conselho Federal de Medicina.

Confira as imagens do atendimento às crianças da Fundação Nosso Lar:

Um comentário:

Aline disse...

Carlos!!
A Thays tinha me falado desse trabalho com as crianças. Muito interessante, já tinha ouvido falar mas não tinha noção do resultado que pode trazer.

Ah! Atualiza meu endereço do blog aí...
www.ehdapiki.blogspot.com
e www.alineaguayo.blogspot.com

Beijão!