quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Solidariedade: Fundação Nosso Lar lança campanha de Natal

Há 11 anos a Fundação Nosso Lar atende crianças e adolescentes

A instituição espera arrecadar cestas de natal e distribuir para famílias em situação de reintegração familiar.

A Fundação Nosso Lar, isntituição que abriga crianças e adolescentes órfãos, abandonados, ou sob júdice esta lançando a campanha “Neste Natal adote uma família”. A iniciativa é uma das ações previstas no projeto de “Apadrinhamento familiar”, desenvolvido pela entidade.
A campanha espera arrecadar cestas natalinas e repassá-las para famílias previamente cadastradas e que se encontram em situação de reintegração familiar, ou seja, aquelas famílias que tiveram o retorno de crianças e adolescentes recentemente abrigadas. A meta da Fundação é atingir cerca de 100 famílias nesta condição.
Nas cestas, além de produtos típicos das festividades natalinas como panetone e doces, outros itens serão incluídos como leite, bolachas e latas de conservas. Pessoas físicas e empresas podem participar da campanha, doando diretamente uma ou mais cestas, ou ainda um valor em dinheiro, que será usado para comprar os itens. Os interessados em fazer a doação podem entrar em contato com a Fundação Nosso Lar através do telefone 3025-2440. As cestas serão entregues no dia 22 de dezembro.

Apadrinhamento
O projeto de “Apadrinhamento familiar” desenvolvido pela Fundação visa incentivar a solidariedade na comunidade, criando um grupo de pessoas, famílias, empresas ou instituições que tenham condições de apadrinhar financeiramente ou afetivamente famílias cadastradas na Fundação Nosso Lar, evitando a permanência prolongada das crianças e adolescentes no abrigo.
O apadrinhamento pode se dar de várias maneiras. Através de doação de materiais de higiene, limpeza, alimentação, fraldas, leite, roupas, medicamentos, móveis, utensílios, vestuário, pagamento de aluguel, água ou luz ou doação de cestas especiais, como de páscoa, dia das crianças, ou no natal, como é o caso da campanha “Neste Natal adote uma família”.
A diretora de projetos da Fundação, Ivania Ferronatto, diz que na maioria das famílias atendidas pela instituição “um dos problemas mais comuns é a miséria” e que, “antes de tudo, é preciso ajudar as famílias a suprir essas necessidades mais básicas, para depois intervir em outras áreas”.
Segundo Ivania, “pesquisas e estudos mostram que as instituições podem oferecer as condições materiais para a criança ou adolescente, mas os danos psicológicos e afetivos causados pelo afastamento da família dificilmente são revertidos”.
Por este motivo, a instituição começou a investir na família, primeiro apoiando materialmente, mas também oferecendo orientações e atendimento psicológico e social. Para Ivania, esta ação “permite que seja efetivado um dos direitos das crianças e adolescentes: o direito de permanecer na família de origem e à convivência familiar e comunitária”. A diretora ressalta, ainda, a importância do envolvimento de toda a comunidade: “não podemos fazer isso sozinhos, nem as instituições, nem os órgão governamentais, precisamos da ajuda de toda sociedade”.

Reintegração
Criada em novembro de 1996, com o apoio da instituição italiana Ore Undici, a Fundação Nosso Lar é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que atende crianças e adolescentes órfãos, abandonados, em risco social ou sub júdice.
A criação da entidade veio para dar uma alternativa ao atendimento do antigo Serviço de Valorização e Integração do Menor – SERVIM. Funcionando em regime de abrigo semi-aberto, o SERVIM tinha o objetivo de recuperar crianças e adolescentes que haviam cometido pequenos delitos, dependentes ou iniciados nas drogas e os que viviam na rua, em situação de risco social.
Desde da criação, o atendimento prestado é feito através do sistema de casas-lares com pais e mães sociais, como o previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA. Desde de janeiro de 2006, através de um convênio com a Prefeitura de Foz do Iguaçu, a instituição assumiu as crianças e adolescentes dos antigos abrigos e albergues municipais. Hoje a Fundação Nosso Lar mantém oito casas-lares, sendo duas casas de passagem, para receber a criança e o adolescente recém abrigado, até que a situação judicial seja resolvida.
A diretora da instituição, Ivania Ferronatto, vê o abrigo como sendo uma alternativa que deva durar o menor tempo possível: “para isso, a Fundação também desenvolve o Programa Família Acolhedora, que recebe a criança, adolescente, ou grupo de irmãos por um período determinado, e trabalha tendo como meta a volta para a família biológica”.

Para Ivania Ferronatto a permanência da criança ou adolescente no abrigo é uma alternativa que deve durar o menor tempo possível
*
Nota - autorizada a reprodução de partes ou de todo o conteúdo deste texto, como forma de divulgação da campanha.

3 comentários:

andsmi_85 disse...

Parabéns Carlos por esse trabalho frente a Fundação.
Pessoas como vc fazem a diferença e devem servir de exemplo ..
Excelente o Texto ... !!

Claudio Vieira disse...

Carlos valeu pela sua passagem pelo meu blog e obrigado pelo elogio, convenho que às vezes eu deveria me dedicar mais. Referente ao texto a gente tem que rir mesmo não é, ahahahhaha, imagina o Scharlau deve sonhar toda noite com o blogs que ele lê durante o dia, até deve falar dormindo, kkkkkkkkkk. Mas em frente conseguiremos nos tornar blogueiros de marca maior, graças ao Grande é claro, ehehhehe. Abraço Carlos. Gostei dos teus textos. O texto da chapeuzinho foi ótimo.

livia disse...

Como sempre, trabalhando, trabalhando, trabalhando, ñ é mesmo??? Q belo trabalho, meu super amigo!!! Vou te ligar e acertamos como eu posso colaborar com essa campanha, pode contar antecipadamente já com a minha doação!!!
Tenha um ótimo domingo!!!
Um super beijo!!!